Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Comunicação > Notícias - InforMMA
Início do conteúdo da página
 
Segunda, 02 Outubro 2017 18:30

Ministério avalia ações para proteção de corais

James St. John/ Creative Commons
Condylactis gigantea: espécie contemplada no PAN

Especialistas participam, em Santa Catarina, da I Oficina de Monitoria do Plano de Ação Nacional para a Conservação dos Ambientes Coralíneos.


WALESKA BARBOSA

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), em parceria com o Ministério do Meio Ambiente, organiza a I Oficina de Monitoria do Plano de Ação Nacional para a Conservação dos Ambientes Coralíneos - PAN Corais. Os encontros começaram nesta segunda-feira (02/10) e seguem até a sexta-feira (06/10), no Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Marinha do Sudeste e Sul (Cepsul/ICMBio), em Itajaí-SC.

Os recifes de coral são ecossistemas considerados como o mais diverso habitat marinho do mundo. Uma em cada quatro espécies marinhas vive nos recifes de corais,  incluindo 65% dos peixes. No Brasil, eles estão distribuídos em 3 mil km de costa, do Maranhão ao Sul da Bahia, representando as únicas formações recifais do Atlântico Sul Ocidental.

Para protegê-los, em 2016 o ICMBio instituiu o Plano de Ação Nacional para a Conservação dos Ambientes Coralíneos, o PAN Corais (Portaria nº 19 de 9 de março de 2016).

Um ano depois, as ações do PAN estão sendo avaliadas na I Oficina de Monitoria, que tem como objetivo analisar o andamento das ações previstas no Plano e ainda debater linhas de ação para o Ano Internacional dos Recifes de Coral, em 2018. A celebração foi instituída pela Iniciativa Internacional dos Recifes de Coral (ICRI).

CAMPANHA

O Ministério do Meio Ambiente também é um dos articuladores do PAN e se comprometeu a contribuir para desenvolver ações que estimulem os turistas a visitarem as áreas com recifes de coral de forma a não impactar essas regiões. Entre as iniciativas, destaca-se a campanha Conduta Consciente em Ambientes Recifes.

“Desde 2007, o MMA vem fazendo ações em prol desse trabalho de conservação dos recifes de coral e para 2018 queremos divulgar projetos e informar a sociedade sobre a importância desses ambientes frágeis durante o Ano Internacional dos Recifes de Coral", diz a analista ambiental Paula Moraes Pereira, do Ministério do Meio Ambiente. "A reunião de Itajaí é de monitoria de um grupo pequeno que está acompanhando as ações de conservação desses ambientes. Conta com a participação de pesquisadores na área de recife de coral, de analistas e de gestores de unidades de conservação”, detalha.

De acordo com a portaria, o PAN deve ser monitorado anualmente para revisão e ajustes das ações, passar por uma avaliação intermediária prevista para o meio da vigência e uma avaliação final ao término do ciclo de gestão.

PLANO DE AÇÃO NACIONAL

O Plano de Ação Nacional para Conservação dos Ambientes Coralíneos (PAN Corais) contempla 52 espécies ameaçadas de extinção e tem objetivo geral de melhorar o estado de conservação dos ambientes coralíneos por meio da redução dos impactos antrópicos, ampliação da proteção e do conhecimento, com a promoção do uso sustentável e da justiça socioambiental.

Ele é composto por nove objetivos específicos, com as suas respectivas ações, cuja previsão de implementação está prevista para até 2021, com supervisão e monitoria anual desse processo.

 


Assessoria de Comunicação Social (Ascom/MMA)
(61) 2028-1227/ 1311/ 1437
imprensa@mma.gov.br



Fim do conteúdo da página