Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Mudança do Clima > Proteção da Camada de Ozônio > Substâncias controladas pelo Protocolo de Montreal
Início do conteúdo da página

Substâncias controladas pelo Protocolo de Montreal

O Protocolo de Montreal dividiu as substâncias químicas controladas em sete famílias:
• Clorofluorcarbonos (CFCs);
• Hidroclorofluorcarbonos (HCFCs);
• Halons;
• Brometo de metila;
• Tetracloreto de carbono (CTC);
• Metilclorofórmio;
• Hidrobromofluorcarbonos (HBFCs); e
• Hidrofluorcarbonos (HFCs).


Cronograma de Eliminação das SDOs

A tabela abaixo apresenta o cronograma de eliminação das SDOs definido pelo Protocolo de Montreal, bem como um resumo da eliminação dessas substâncias no Brasil.
 
Anexo do Protocolo de Montreal

Substância (SDO)

Cronograma de Eliminação do Protocolo de Montreal

Eliminação brasileira

Anexo A (Grupo 1), Anexo B (Grupo 1)

CFCs

1999 - Congelamento

2005 – 50%


2007 – 85%

2010 – 100% (média consumo de 1995-1997)

2001 – somente permitido para o setor de serviço de equipamentos de refrigeração, MDIs (Inaladores de Dose Medida), agente de processos químico e analítico e como reagente em pesquisas científicas.

2007 – somente permitido para MDIs, agente de processos químico e analítico e como reagente em pesquisas científicas.

2010 – 100%

Anexo A (grupo II)

Halons

2002 - Congelamento

2005 – 50% (média consumo de 1995-97)


2010 – 100%

2001 – permitido para extinção de incêndio na navegação aérea e marítima, aplicações militares não especificadas, acervos culturais e artísticos, centrais de geração e transformação de energia elétrica e nuclear, e em plataformas marítimas de extração de petróleo.

2010 – 100%

Anexo B (grupo II)

CTC

2005 – 85% (média de consumo de 1998-2000)

2010 – 100%

2001 – 100%
(O Protocolo de Montreal não proíbe o CTC quando utilizado como matéria prima em reações químicas)
Anexo B (grupo III)

Metil Clorofórmio

2003 - Congelamento

2005 – 30% (média do consumo de 1998-2000)


2010 – 70%

2015 – 100%

2001 – 100%

Anexo E

Brometo de Metila (fins agrícolas)

2002 - Congelamento

2005 – 20% (média do consumo 1995-98)


2015 – 100%

2007 – 100%

(O Protocolo de Montreal não proíbe o brometo para usos em quarentena e pré-embarque de commodities agrícolas)

Anexo C

HCFCs

2013 – congelamento

2015 – 10%

2020 – 35%

2025 – 67,5%

2030 – 97%

2040 – 100%

Atividade em andamento no âmbito do Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs - PBH

Fonte: Unep (2014) 


O consumo de CFCs, Halons, CTC, Metil Clorofórmio e Brometo de Metila (para atividades agrícolas) encontra-se totalmente banido no Brasil. 

O uso do Brometo de Metila permanece liberado (sem controle pelo Protocolo de Montreal) somente para uso em procedimentos quarentenários e fitossanitários para fins de exportação e importação das seguintes culturas: abacate, abacaxi, amêndoas, amêndoas de cacau, ameixa, avelã, café em grãos, castanha, castanha de caju, castanha-do-pará, copra, citrus, damasco, maçã, mamão, manga, marmelo, melancia, melão, morango, nectarina, nozes, pêra, pêssego e uva. Também é permitido para o tratamento de embalagens de madeira utilizadas na importação e exportação dessas commodities.

Ainda resta o consumo de HCFC, que se encontra em fase de eliminação por meio do Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs. 


Fim do conteúdo da página